turmadivertida

pesquisar

 
Segunda-feira, 24 / 12 / 12

Feliz Natal

publicado por pajopires às 16:57
Quarta-feira, 12 / 12 / 12

Conto de Natal

Hoje escrevemos um conto de Natal muito adaptado à realidade que vivemos.

Leiam que vão gostar.

 

Um desejo de Natal

 

Nos primeiros dias de dezembro, quando na escola já se preparava o Natal, Matias ganhou um novo colega. Chamava-se Duarte e vinha de outra escola. A professora apresentou-o à turma e mandou-o sentar ao lado do Matias.

Em poucos dias, criou-se uma grande amizade entre eles. Onde estava um, também estava o outro.

Na última semana de aulas, antes do Natal, a professora ordenou que pensassem o que queriam pedir ao Pai Natal, pois iriam escrever-lhe uma carta.

Todos ficaram muito excitados com a ideia e falavam das prendas que queriam receber, só o Duarte não se pronunciou e ficou muito calado e triste.

No intervalo, Matias quis saber o que se passava com o amigo:

– Então tu não vais pedir nada ao Pai Natal?

– Aquilo que eu queria, ele não me pode dar. – respondeu Duarte.

– Então o que queres?

– Eu vou contar-te uma coisa. Nos outros anos, eu também pedia muitos brinquedos ao Pai Natal. Ele dava-me tudo que eu pedia e eu ficava feliz. Com a crise os meus pais ficaram sem nada, até a casa perdemos, foi por isso que eu vim para casa dos meus avós e para esta escola. Os meus pais tiveram que ir trabalhar para o estrangeiro porque não tinham emprego. Agora, percebo que os brinquedos não são tão importantes. O que eu mais queria era passar o Natal com os meus pais, mesmo que não recebesse nenhum presente.

Matias ficou estupefacto com aquela história e decidiu ajudar o amigo.

No dia seguinte, quando escreveu a carta, em vez de pedir os brinquedos que tanto queria, pediu ao Pai Natal que trouxesse no seu trenó os pais do Duarte para passarem o Natal com ele.

Na véspera de Natal, enquanto a sua mãe preparava a ceia e o resto da família se reunia em volta da lareira, Matias pensava no seu amigo e na tristeza que seria passar o Natal sem os pais.

Nesse momento, parou um carro em frente da casa dos avós do Duarte. Lá de dentro saiu um casal que se dirigiu para o portão. Foi então que Matias viu o Duarte abrir a porta de casa e correr para abraçar os pais.

O seu desejo tinha-se realizado e o Duarte podia, tal como ele, passar o Natal com a família toda reunida.

Enquanto se dirigia para juntos dos seus, Matias murmurou:

– Obrigado, Pai Natal. Agora sim, será Natal de verdade!

publicado por pajopires às 12:00
Terça-feira, 11 / 12 / 12

O nosso presépio

publicado por pajopires às 10:03
Somos 23 alunos do 4º ano da escola EB1 Santo António Casais.

mais sobre mim

contador

Dezembro 2012

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
25
26
27
28
29
30
31

últ. recentes

mais comentados

subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro